terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Segredos, Mentira e Emoções - Capitulo 25

Mauricio discou o número de um celular que não costumava usar a não ser em extrema emergência. Aguardou ser atendido e esta espera o estava deixando impaciente. Há dias havia recebido uma noticia não muito agradável e sabia que com a ajuda daquela pessoa com a qual estava realizando a ligação poderia conseguir uma solução. Como estava envolvido com jogos acabou perdendo muita grana em apostas e se arrependeu de ter entrado na jogatina quando mais precisava de todo aquele dinheiro perdido.  Assim que atenderam o telefone despejou as palavras de uma forma eufórica sem sequer se dar conta da pessoa da qual estava falando.

-- Preciso de sua ajuda, a minha mulher precisa fazer um transplante de rins, preciso que me ajude – Disse Mauricio todo nervoso, pois era a primeira vez que usava aquele número para solicitar ajuda para uma situação particular.

-- Não posso fazer nada por ela. E você já recebeu dinheiro suficiente para realizar milhares de coisas. Se não soube poupar o seu dinheiro, não me venha com pedidos desta forma.

-- Esquece que eu sei de tudo. Posso procurar qualquer um daquela família e você estará perdido. Eu preciso de dinheiro e o quero até sexta-feira, senão procuro pela garota e conto a verdade a ela. Eu garanto que ela tem pessoas a quem recorrer para desmascarar vocês.

-- Mauricio, não se atreva a querer me chantagear. Primeiro que se você contar qualquer coisa, estará na mesma situação que eu. Acha que te darão crédito por que estar contando toda a historia para eles. E saiba de uma coisa seu imbecil, somos todos pagos para realizar-mos o nosso trabalho, mesmo que eu fosse o chefe não iria cair em sua lábia. Procure por outra pessoa que te ajude por que de minha parte você não terá.

-- Eu preciso de R$ 25.000,00 e se vocês não me ajudarem até sexta eu juro que irei contar tudo. E pode ter certeza que se eu oferecer essa informação para aquela atriz ela me pagará o dobro. Você tem contato com o chefe, diga a ele que se até sexta-feira ao meio dia eu não receber esta quantia vocês não terão mais como receberem tanto dinheiro por uma falcatrua que planejaram durante todo este tempo.

-- Então nos veremos na sexta! Passar bem!

A voz do outro lado desligou o telefone não dando oportunidades de Mauricio falar mais nada. Ele sabia que estava em perigo, depois daquela conversa seria melhor ficar muito atento a qualquer coisa que surgisse em seu caminho. Pegou as chaves do carro e saiu apressado. Dirigiu até o colégio Miller no mesmo instante em que viu Alex sair de lá caminhando a pé. Notou que ela parecia apressada em querer chegar a algum lugar e por este motivo não percebeu que estava sendo observada. Ficou seguindo-a e não reparou que um carro também o estava seguindo.


Alex estava muito chateada, queria que Kamila entendesse que ela estava começando a gostar dela, mas sabia que para ter algum relacionamento com Kamila iria precisar de muito esforço, pois ela não era do tipo que assumia alguma relação séria. Estava com o Markus ha muito tempo, mas não pensavam em nada que não fosse aproveitar o momento. Enquanto caminhava em direção a casa de Melanie, notou que um carro freou bruscamente e assim que o mesmo parou um homem saiu de lá e começou a correr em sua direção. Sem pensar duas vezes se pôs a correr para longe dele.

-- Ei! Pare! Espere, eu só quero falar com você. Prometo que não farei nada a você, só me escute, por favor.

Enquanto o homem gritava estas palavras Alex tentava correr ainda mais, por azar do destino estava com um salto médio o que dificultava ainda mais a sua fuga. E sem perceber entrou em um beco sem saída.

Encurralada procurou alguma coisa no chão para se proteger e foi quando viu um pedaço de bambu. Pegou ele e apontou para o homem que a seguia.

-- Se afasta de mim ou juro que te acerto como este negocio aqui e te machuco.

-- Você não tem cara de quem machucaria ninguém. – Mauricio foi se aproximando de Alex que parecia apavorada com a atitude daquele desconhecido.

-- Ela não! Mas eu sim. – Katherine pegou um aparelho de choque de seu bolso e com ele deu um choque em Mauricio que caiu no chão atordoado pela descarga elétrica que levou. Logo em seguida ela apontou uma arma para ele. – O que você quer com ela?


Mauricio estava ainda meio desorientado devido ao choque, focalizou o rosto de Katherine não identificando quem seria ela, mas logo se voltou para a direção de Alex.

-- Eu preciso de dinheiro. Se você me dê eu conto tudo sobe sua existência. Eu sei de tudo, sei de quem você é filha.

-- E quem é você afinal. – Perguntou Katherine ficando na frente de Alex para protegê-la.

-- Só preciso que me dêem o valor e eu prometo que conto tudo. E juro que sairei tão depressa de sua vida que ninguém vai perceber que estive aqui em algum momento.

-- Você esta blefando. Nem deve saber do que esta falando. – Disse Kathy ainda com a arma apontada para Mauricio. - De quanto estamos falando?

-- R$ 25.000,00. Eu preciso muito deste dinheiro, e se me ajudarem você saberá quem são seus pais e não precisará passar por mais nenhum exame de DNA.

-- E como teremos certeza de que está falando a verdade. Você não tem cara de que saiba de coisa alguma. Por que não me conta, se sua historia valer a pena eu te dou até mais do que este valor. – Disse Kathy tentando ver se consegue obter a informação de Mauricio.

-- Não sei quem é você. Meu assunto não é contigo e para ter as informações é preciso pagar antes, caso contrário esqueça.

-- Não sou eu quem esta numa enrascada. Se você procurou direto na fonte é provável que esteja necessitando não só do dinheiro como de proteção. Fale de uma vez e prometo que nada acontecerá a você.

-- Eu lá vou acreditar numa fedelha como você. Só preciso do dinheiro se não podem me ajudar eu procuro por outra pessoa. – Mauricio já estava se levantando quando ouviu a voz de Alex.

-- Espera! Só um minuto. – Alex puxou Kathy em um canto e olhou em seus olhos.- Podíamos dar o dinheiro a ele.

-- Deixa de ser ingênua Alex. Quem garante que este cara saiba alguma coisa sobre a sua vida. E mais eu dei minha palavra, se o que ele me contasse valesse a pena eu o daria muito mais. Vamos com calma, senão qualquer pessoa inventa que sabe alguma coisa para arrancar dinheiro de você. Concorda comigo?

-- Ele ta desesperado Kathy, pode estar falando a verdade.

-- Como também pode ser um drogado que precisa de dinheiro para o seu vicio e queira inventar alguma coisa sobre sua historia para arrancar algum dinheiro seu e de sua familia. Se ele não falar conosco eu coloco alguém para saber quem ele procurará depois de você. Não se preocupe eu dou um jeito de descobrir.

--Está bem. – Alex concordou com o que Katherine disse.

Katherine voltou a ficar de frente para Mauricio que ficou aguardando pela decisão das duas.

-- É o seguinte. Você terá de confiar em mim, e mesmo que para você eu seja uma fedelha, pode confiar que o que eu desejo eu consigo. Conte-me o que você sabe sobre a historia da Alex e eu avalio quanto esta informação valerá. Se estiver mesmo dizendo a verdade e tem como provar, pode ter certeza que sairá com muito mais que 25 mil.

-- Não posso perder meu tempo com vocês. Minha vida corre perigo e se eu não conseguir este dinheiro de nada ela vai ter valido. Agora se me permitem vou tratar este assunto com adultos. Não sei por que tive a idéia de procurar uma criança.

Mauricio sequer avaliou a proposta de Kathy, deixou as duas e resolveu seguir outro caminho. Naquele mesmo instante Kathy mandou uma mensagem para uma pessoa que localizou Mauricio e o seguiu com uma certa distancia.

-- Deixa comigo, seja quem for este cara eu irei descobrir tudo sobre ele. Quer uma carona. Estou vendo que deixá-la sozinha pode ser perigoso.

-- Foi um acaso. Não preciso de proteção. Eu sei me cuidar.

As duas se dirigiram para a casa de Melanie e quando chegaram Kathy disse para Alex não se preocupar pois ela iria resolver aquele assunto. Alex ficou na porta vendo o carro de Kathy se afastar e ficou imaginando o que ela faria para conseguir aquela informação. Deixou alguns pensamentos de lado e resolveu que de nada adiantaria ficar imaginando quem seria aquele rapaz. Entrou e foi direto para seu quarto mas parou na frente do quarto de Kamila que estava semi aberta. Entrou para ver se ela tinha chegado e ouviu um som de chuveiro, foi verificar se era Kamila mesmo e quando já estava a um passo entrar no banheiro viu Kamila tomando banho. Ficou olhando pela fresta da porta ela se ensaboar. Percorrer cada pedacinho do corpo com uma pequena esponja.

O trajeto da esponja era tão fascinante quanto vela sem roupa. Alex ficou sem ação, apenas admirando Kamila tomar banho de uma forma tão sensual e foi neste minuto que Kamila olhou para a porta e seus olhos se encontraram.


CAPÍTULO 1     CAPÍTULO 2     CAPÍTULO 3     CAPÍTULO 4   CAPÍTULO 5 
CAPÍTULO 6     CAPÍTULO 7     CAPÍTULO 8  CAPÍTULO 9     CAPÍTULO 10  
CAPITULO 11   CAPÍTULO 12  CAPÍTULO 13  CAPITULO 14    CAPITULO 15
CAPÍTULO 16  CAPÍTULO 17  CAPÍTULO 18   Capitulo 19   Capítulo 20  
Capitulo 21  Capitulo 22    Capitulo 23  Capitulo 24

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Spice Girls

Estava olhando do nada alguns sites e o que vejo o nome da banda que mais adoro e adorei de todos os tempos. Sim, as Spice Girls.

Podem dizer mil coisas, mas elas foram um grande sucesso, que para mim serão sempre eternas. Com seu Girl Power em que colocava as meninas sendo mais valorizadas e não apenas correndo atrás de um namoradinho ou brigando por um.

Sempre fui fã e pra piorar quando souberem qual é a minha favorita vão dizer. Porra, por que ela, e não outra. Poxa, eu gostei dela de cara, era o meu avesso, minha favorita, a mais legal para mim, e será sempre a minha favorita. E se disserem que ela acabou com a banda só tenho uma coisa a dizer:
Dane-se, ela pode kkk. Ela teve e tem talento de sobra pra mostrar que pode seguir sem as outras Spice. Como fã incondicional da Geraldine Estelle Haliwell, a Ginger Spice, o que ela fizer eu aprovo.

Estive ausente algum tempo devido as provas finais, mas já estou preparando muito material para postar. Há com as ferias tentarei ser mais presente, colocando material diário, se não der é por que estou selecionando. Como só dá para postar a noite, a de hoje é das Spice, amanhã posto o conto.

Beijão e obrigada pela compreensão.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Segredos, Mentiras e Emoções - Capitulo 24

Alex estava caminhando em direção a sua sala quando se deparou com Beatriz a esperando. Tentou ignorar a presença dela, mas Beatriz a fez parar.

-- Não precisa falar comigo, só queria te entregar seus cartões com suas economias. Acho que é responsável o suficiente para usá-los da forma que desejar. Mas saiba que pode contar comigo para qualquer coisa. Alex, eu te amo muito e saiba que estou de seu lado para qualquer coisa que necessita. Não deixe de me procurar quando precisar, a qualquer momento.

Sem muita coisa para falar e pega completamente de surpresa depois daquelas palavras, Alex só conseguiu dizer: -- Obrigada!

Alex ficou emocionado com a ação de sua tia e quando já iria se desculpar pelo tratamento que estava dando nela, viu Beatriz se afastar sem dizer mais nada. Preferiu não ir atrás dela, precisava ser forte com o propósito de manter todos afastados dela, mas o que mais queria era correr e se aconchegar em uma dos abraços que sua tia sempre dera quando ela se sentia triste por algum motivo.

Beatriz percebeu nos olhos de Alex que ela havia se emocionado, mas não queria dar um passe em falso. Pedir mais perdão naquele momento poderia afastar ela e em seus planos de reconquistar sua sobrinha não estava impor a ela situações que ela não queira que ela passasse.

Alex entrou na sala de aula já imaginando as coisas que poderia fazer com o dinheiro que havia guardado durante anos. Apesar de saber que o dinheiro não iria durar por muito tempo caso gastasse demais, preferiu utilizá-lo com coisas que julgou serem mais importantes naquele momento. Durante toda a aula sua mente ficou no que ela faria para seguir em frente com sua vida. Possuir dinheiro não significa que estaria mais feliz e que seus problemas não iriam mais bater em sua porta. Tudo que ela mais queria é seguir em frente com sua vida, sem ter que ser obrigada a ficar mudando constantemente de ambiente familiar.

Assim que a aula terminou resolveu procurar por Katherine. A encontrou no corredor conversando com uma garota que tinha pinta de ser cdf. Ficou esperando por ela durante alguns minutos e assim que a conversa terminou foram para a lanchonete. Sentaram em uma mesa próxima onde se encontrava Valéria que estava tomando um suco de uva.

-- Acho que encontrei uma solução para o seu Francês. – Disse Katherine com seu jeito sério de falar as coisas.

-- Queria te fazer uma pergunta.

-- Não quer saber o que descobri para ajudá-la.

-- Quero claro. Mas também queria saber se aquela sua proposta ainda esta de pé. A de eu ir morar com você em seu apartamento. É só por um tempo, pois depois vou ver se consigo alugar um lugarzinho para mim.

-- Então agora você tem grana. O que houve, assaltou um banco foi.

-- Não é isso. Devolveram meus cartões. Sabe se eu ficar em sua casa posso te ajudar com as contas.

-- Por mim tudo bem. Porém você sabe que a Susan e a Barbara não aceitarão esta sua posição por muito tempo.

-- Tava pensando, se eu conseguisse ser emancipada poderia viver sozinha não é. Igual a você.

-- Sim claro. Mas quem de seus pais iriam assinar essa emancipação. Não se esqueça que de certa forma esta luta por sua guarda rende uma grana boa para ambos. E uma imagem ruim claro ter de brigar por você sem ao menos saberem quem realmente são seus pais, mas imagina se descobrissem logo quem são. Eu to começando a pensar numa alternativa de te ajudar nessa questão sua, porém como se trata de ganhos não quero que ninguém saiba do que estou fazendo.

Katherine olhou para os lados para se certificar que não estava sendo observada por ninguém. E como notou a presença de Valéria que fez questão de aproximar ainda mais a cadeira como que querendo escutar a conversa, resolveu que contaria seu plano para Alex em outro momento quando estivessem realmente sozinhas.

-- Mudando de assunto provisoriamente. É o seguinte encontrei uma garota que cobra $10,00 por hora para te ensinar Francês. Ela é excelente, tanto nas notas quanto na pronuncia. Peguei o telefone dela e disse que você ligaria para ela.

Katherine já estava pegando um papel em sua bolsa quando passava o mesmo para Alex, Kamila chegou naquele momento.

-- Estão trocando cartas de amor é. Olha que sou ciumenta.

-- O que está rolando entre vocês duas. Posso saber?

-- Nada. – Disse Alex tentando se esquivar desta pergunta, pois nem mesmo ela sabia o que estava acontecendo entre elas.

-- Bem, eu a seduzo e ficamos nisso.

-- Tava combinando com a Katherine que eu posso ir para o apartamento dela.

-- Duvido que minha mãe vai te deixar sair lá de casa.

-- Sua mãe é um amor mas não posso morar lá para sempre.

-- Por que não. Se for o lance de garotos... quer dizer garotas você pode levá-las lá em casa. A minha mãe já disse que não tem problemas com isso. E do mesmo jeito que ficara conosco você ficaria na casa da Katherine, então não vejo nenhuma razão para que você vá para a  casa da Kath.

-- Mesmo jeito não Kamila. Não gosto de gente nua andando na minha casa não.

-- Você me entendeu! E além do mais Alex, você será obrigada a voltar para a casa de uma de suas mães.

-- Foi o que eu disse. – Katherine fez um movimento com a cabeça demonstrando que não daria em nada esta decisão de Alex.

-- Cara, isso é muito chato. É horrível não saber de quem sou filha e é ainda mais horrível quando você tem laços com todos e num dado momento todos te desapontam.

-- O que houve afinal. – Kamila perguntou imaginando que Alex pudesse se abrir com ela. Desde que se reencontraram Alex sempre se esquivou de falar qualquer coisa relacionada com o que a levou naquele colégio.

-- Queria que você parasse de fazer perguntas.

-- Sou sua amiga, não posso te ajudar. É normal fazer perguntas para tentar arrumar uma solução. Alex, por que você não fala nada. Garanto que se você se abrir comigo pode retirar um peso enorme de suas costas.

-- Só me ajude no eu de agora. Não me faça perguntas do que me ocorreu e do por quê de eu vim para aqui.

-- Tudo bem. Você antiga morreu e pronto. Não posso ter interesse em saber o que te aconteceu, se você esta bem, pois isso não é coisa que amigos fazem.

-- Não disse isso, mas queria realmente poder esquecer muita coisa que aconteceu comigo antes de vim para cá.

-- Vamos embora, tenho que descansar por que terei treino mais tarde. Alex, se você não quiser ficar na casa da Melanie pode ir para meu apartamento. Mas tenho que concordar que daria no mesmo você ficando lá ou não, já que terá de partir de todo jeito.

-- Tudo bem Kath. Obrigada por tudo que você tem me ajudado eu vou ficar lá até a decisão do juiz novamente.

Kath saiu mas Kamila continuou com Alex na lanchonete.

-- Você me espera um pouco. O Marcus vai vim me pegar e a gente volta para casa juntas.

-- É sério o que esta me pedindo. Você só pode ser cega mesmo. Tenho que ir, te vejo em casa. Fica ai com seu namoradinho idiota.

-- Por que você não pode me esperar um pouco, ele nem vai demorar.

--Quando você acordar você vai saber.

Alex saiu chateada da cantina, enquanto Kamila permaneceu sem entender por que foi tratada daquela forma.

Enquanto isso a outra mesa, valeria que tinha escutado toda a conversa das três saiu e foi para a sua casa e de lá ligou para Patrícia pedindo a ela para dormir na sua casa pois tinha algumas novidades para ela e que era muito importante que as duas se falassem naquele mesmo dia.



CAPÍTULO 1     CAPÍTULO 2     CAPÍTULO 3     CAPÍTULO 4   CAPÍTULO 5 
CAPÍTULO 6     CAPÍTULO 7     CAPÍTULO 8  CAPÍTULO 9     CAPÍTULO 10  
CAPITULO 11   CAPÍTULO 12  CAPÍTULO 13  CAPITULO 14    CAPITULO 15
CAPÍTULO 16  CAPÍTULO 17  CAPÍTULO 18   Capitulo 19   Capítulo 20  
Capitulo 21  Capitulo 22    Capitulo 23 

sábado, 26 de novembro de 2011

Esclarecimento por não estar postando

Oi leitores queridos,

Resolvi me explicar, estou fazendo as provas finais que terminam agora dia 08/12.

Decidi por interromper para poder passar em todas as disciplinas, mas assim que terminar ja irei postar e darei um jeito de postar mais capitulos devido ao tempo que fiquei sem postar.

Obrigada pela compreensão.

sábado, 29 de outubro de 2011

Fastlane 1x11

Fastlane era uma série policial em que dois agentes solucionavam diversos casos. Tinha mais mulher nesta série que mais parecia um paraiso. O problema que eram na maioria das vezes somente objeto de desejo por homens.

Este episódio devo confessar que adorei por que as personagens além de serem lésbicas no episódio não deram a mínima para os atores. Ou seja, não importa se o carinha e gato, isso não fará uma lésbica se interessar por ele somente por sua carinha bonitinha.

Podem ser amigos kkk eu deixo. Mas vamos as imagens ...











segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Segredos, Mentira e Emoções - Capitulo 23

Enquanto alunos e professores entravam no colégio depois da despedida de Susan, Valeria encarou Patrícia e ficou algum tempo sem falar para logo depois comentar.

-- Agora é oficial! Enxotamos a garota errada. Por que vocês não voltam?

-- Posso tentar uma amizade, mas não sei em relação ao amor.

-- Estou com uma duvida? Por que será que a Alex não quer falar com a Susan? Qual será o envolvimento delas?

-- Sei lá. Vamos entrar logo, senão perderemos as aulas.

-- Você esta incumbida de procurar as respostas. Agora fiquei curiosa, aliás muito curiosa.

As duas entraram e Valeria queria a todo custo que Patrícia anotasse todas as perguntas sobre a vida de Alex que ela gostaria de ter uma resposta, mas Patrícia se recusou, pois não sabia sequer se iria voltar a falar com Alex novamente.


Na aula de biologia Patrícia resolveu sentar perto de Alex para tentar puxar assunto e conseguir alguma aproximação. Sentou do lado de Alex e por sorte a professora juntou as duas e disse que aquela dupla iria continuar até o final do período. Patrícia gostou muito daquele acaso, pois não tinha em mente mais nenhum motivo para se aproximar de Alex, depois do que a fez passar.

-- Oi! – disse Patrícia ao arredar ainda mais a carteira para perto da de Alex de modo que as mesas ficassem coladas.

-- Oi!

-- Desculpa tê-la tratado daquela forma aquele dia, prometo que não farei mais aquilo.

-- É, parece que realmente você possui duas personalidades. Pois age de maneira diferente quando esta perto de suas amigas.

-- Sinto muito! Não farei mais aquilo.

-- Tudo bem! Não temos mais nada mesmo, você pode agir do modo que quiser.

Patrícia não soube o que dizer, realmente Alex estava certa. Perto de suas amigas ela se portava de uma forma totalmente diferente de quando estavam juntas. As duas ficaram anotando o material passado no quadro e como teriam de ser ver mais vezes pelo fato de fazerem o trabalho juntas, trocaram telefones para combinarem horários para se encontrarem somente para estudarem. Depois que a aula terminou cada uma foi para um lado.



Valeria estava esperando por Patrícia fora da sala de aula desta, visto que a sua havia terminado mais cedo. Assim que percebeu Patrícia saindo se aproximou para saber se esta já possuía alguma resposta.

-- Não falamos nada demais. Desculpei-me por meu comportamento e depois só falamos coisas referentes ao trabalho que nos foi passado. Pelo menos estaremos mais tempo juntas, já que faremos dupla até o fim do semestre.

-- Quem sabe com o tempo vocês voltam a se falar. Mas deixando isso de lado, olha só o que temos para sexta-feira. – Mostrou um folheto para Patrícia que o pegou e começou a ler – Festa na casa do Andrew e eu fui convidada. A gente pode se divertir muito por lá. O que acha de ir comigo.

-- Não sei. Minha mãe não vai me deixar sair, eu presumo.

-- Diga que irá dormir em minha casa para estudarmos e ai poderemos ir.

-- Você pensa em tudo heim. Mas não sei se seria justo, mas vou pensar e te dou a resposta depois, por que se minha mãe não me autorizar a sair não poderei ir. Assim que conversar com minha mãe hoje te dou a resposta.

-- Vamos nos divertir bastante sexta. Pode ter certeza.



Na porta do banheiro feminino estavam Jonhny e Kath conversando enquanto esperavam por Alex.

-- Conheço uma garota que sabe muito de Francês. Ela explica muito bem, que tal ela? – Disse Jonhny enquanto olhava algum contato no celular.

-- Se eu tivesse mais tempo, até daria as aulas. Porém não me sobra tempo para nada, estou envolvida em tantas coisas que nem sei como ainda tenho tempo de vim para o colégio.

Alex saiu do banheiro e foi falar com os dois.

-- Espera, mas eu não tenho grana para pagar por aula alguma. Esqueceram que agora sou só no mundo.

-- Que exagero. Você pobre! Não sei de onde tirou esta idéia. E por que não quis falar com sua mãe hoje, vocês estão brigadas.

-- Assunto meu, não quero entrar em detalhes sobre nenhum episódio que envolvam aquelas pessoas. Mas sobre as aulas vou precisar arrumar um emprego para que eu possa pagar.

-- Quem sabe se você pedisse a sua outra mãe. Olha a Beatriz vem vindo, por que você não pede a ela.

Beatriz ouviu que falavam dela e foi procurar saber se Alex precisava de sua ajuda.

-- Me chamaram?

-- Tchau gente! Tenho que ir!

-- Alex espera. Se houver um modo de te ajudar em alguma coisa você pode contar comigo.

-- Tchau gente!

Alex se afastou dos três, como havia prometido a si mesmo, não iria querer mais nenhuma ajuda de ninguém que estivesse envolvida com suas duas famílias. Beatriz continuou conversando com os amigos de Alex para saber se podia ajudar, mesmo que indiretamente.

-- Vocês poderiam me contar o que a Alex esta precisando. Eu posso ajudar de alguma forma.

-- A Alex precisa de dinheiro para pagar por aulas de Francês, mas ela prefere não pedir a vocês.

-- E se eu desse o valor que ela necessita para vocês e dessem a ela como se fossem vocês que a estão ajudando.

-- Não acho que vá adiantar. Ela vai desconfiar e orgulhosa que só, duvido que aceite. – Disse Kath olhando diretamente nos olhos de Beatriz.

-- Acho que tenho uma solução. Qual a próxima aula dela.

-- Não tenho certeza, mas acredito que seja geografia na sala 6. Ela até me pediu um livro emprestado por que ainda não comprou o material dela. – Disse Jonhny meio eufórico.

-- Posso te fazer uma pergunta Beatriz? Esta forma de ajudá-la não a deixará mais dependente de vocês ou deixará. – Kath perguntou tentando entender qual seria esse passo dado por Beatriz. Como estava com um plano de ajudar Alex desde que ela lhe contou tudo que havia acontecido, não queria que a amiga ficasse ainda mais presa a laços com as duas famílias sem saber ao certo qual seria a sua família verdadeira.

-- Não se preocupe, é algo bom para a Alex e garanto que não teremos como fazê-la a fazer nada que não queira.

-- Tudo bem irei confiar em você. Mas saiba que estou de olho em tudo que se passa com ela. Ela já passou por momentos terríveis para que haja algum tipo de complô contra ela.

Beatriz deu um sorriso como que estranhando a proteção de Kath para com sua sobrinha, mas viu ali uma amizade fiel da qual Alex não teria problemas em solicitar algum tipo de ajuda. Saiu em direção a sala dos professores, e no seu armário retirou dois cartões, colocou em seu bolso e foi encontrar a sobrinha na sala 6. Alex não estava lá, e para não ter mais nenhum desencontro resolveu aguardar por ela.



Em outro andar no banheiro feminino, Alex estava encostada na pia olhando para Kamila que estava passando um batom. Seus pensamentos estavam longe e Kamila percebeu de imediato.

-- Por que está com esta cara?

-- Estava aqui pensando em como irei conseguir dinheiro para pagar por aulas particulares de Francês.

-- Trabalhar não é muito a minha. Que tal se formos ao shopping depois da aula.

-- Que parte do estou sem grana você não entendeu.

-- Simples moça. Eu faço compras e você procura algum trabalho de meio expediente, assim ambas sairemos lucrando com a saída.

-- Até que você pensa um pouquinho de vez em quando.

-- Sei! Mas seria engraçado você trabalhando com toda a grana que seus pais possuem.

-- Eles não são meus pais.

-- E quem são?

--Credo Ka! Estou passando por cada coisa em minha vida e você fica zombando de mim. Se tivesse no meu lugar não iria falar isso.

-- Não é isso! Me desculpa! Estava só brincando. Afinal por que você não quis falar com a Susan, mas diga a verdade.

-- Tenho que ir.

--Isso para não falar comigo. Que boa amiga é você.

-- Tchau! – Alex mandou um beijo para Kamila e saiu do banheiro.



Patrícia que estava dentro de um reservado ouvindo toda a conversa, saiu e foi falar com Kamila.

-- Será que eu posso ajudar a Alex em alguma coisa?

-- Acho que você já fez o suficiente. Deixando ela!

Kamila saiu do banheiro e se encaminhou para sua sala. Patrícia se olhou no espelho e viu um olhar triste, um olhar ao qual ela nunca tinha notado antes. Ficou pensando nas palavras de Kamila e decidiu que iria mudar suas ações daquele momento em diante.



CAPÍTULO 1     CAPÍTULO 2     CAPÍTULO 3     CAPÍTULO 4   CAPÍTULO 5  
CAPÍTULO 6     CAPÍTULO 7     CAPÍTULO 8  CAPÍTULO 9     CAPÍTULO 10  
CAPITULO 11   CAPÍTULO 12  CAPÍTULO 13  CAPITULO 14    CAPITULO 15
CAPÍTULO 16  CAPÍTULO 17  CAPÍTULO 18   Capitulo 19   Capítulo 20  
Capitulo 21  Capitulo 22 

domingo, 23 de outubro de 2011

Enquete

Parada Gay de Juiz de Fora: Você irá

Sim
  4 (19%)
 
Não
  4 (19%)
 
Talvez
  0 (0%)
Ainda não decidi
  2 (9%)
 
Só se for com você
  11 (52%)
 

Votos até o momento: 21
Enquete encerrada

Ok me atrasei muito nos comentários dessa enquete. Até queria ir na de Copacabana, porém não foi possível. Quem sabe ano que vem.

Gostei das respostas, pena que não marcamos um grupo para ir junto. Foi muito boa a parada. Pelo menos eu achei.

domingo, 9 de outubro de 2011

Segredos, Mentiras e Emoções - Capitulo 22

Na manhã seguinte Alex acordou com o telefone de Kamila tocando. Pegou e verificou que quem ligava era o namorado dela. Derrubou a chamada e o deixou no silencioso. Não queria dividir aquele momento com ninguém e não queria escutar a conversa de Kamila com namorado dela depois de uma noite maravilhosa em seu braços. Ficou deitada do lado dela admirando seus traços. Ela era linda e como foi incrível na noite passada. Tocou o rosto dela como se circulasse o rosto dela com a ponta do dedo. Enquanto admirava cada pequeno detalhe no rosto de Kamila esta acordou e seus olhos encontraram o de Alex. Deu um sorriso para Alex enquanto se ajeitava na cama.

-- Está me admirando Alexssandra.

-- Estou.

-- Sabe! Tudo isso pode ser seu de vez em quando.

-- Odeio quando age deste modo.

-- Desculpa.

Alex saiu da cama chateada, começou a procurar as roupas espalhadas pelo chão enquanto Kamila a fitava com desejo da cama, mas sem coragem de falar nada depois do que acabara de falar.

-- Precisamos nos vestir.

-- Preferiria ficar aqui com você.

-- Eu também! – Alex se deu conta do que havia falado demais e parou estática com o short na mão. - Droga! – Disse em voz alta chamando a atenção de Kamila.

-- O que foi?

-- Eu meio que estou sentindo alguma coisa por você.

-- Não se preocupe. Isso passa.

-- Não é tão simples como você diz. Bem que eu queria ser como você.  Mas não sou assim. Quero ficar com alguém que me queira não apenas para transar, mas para ser minha namorada, que possa dividir as coisas comigo, mesmo as mais chatas.

-- Entendi. – Kamila levantou e caminhou em direção ao banheiro. Não queria ficar e perceber que sentia alguma coisa diferente por Alex, que crescia em seu peito e que ela nunca havia experimentado antes, mas que não quisesse dar prosseguimento. Não a olhou nos olhos e se trancou no banheiro.

Alex se arrumou e ficou esperando por Kamila, não queria tocar no assunto da noite passada, pois percebendo a reação de Kamila, sabia que não passariam de amantes eventuais. Assim que Kamila a encontrou na sala, não disse nada sobre o que aconteceu a ela simplesmente a chamou para ir ao colégio para  e foram de carro para a escola. Mas a pedido de Alex, Kamila parou o carro afastado a poucos metros do colégio.

-- Acho que não irei a aula hoje. Será que pode me deixar aqui. Você pode entrar, mas eu prefiro matar aula hoje.

-- Mas por que, já estamos quase dentro do colégio.

-- É, mas olha quem está me aguardando. – Disse Alex apontando para a Susan e Verônica que a aguardavam no portão do colégio. Um pequeno tumulto acontecia entre alunos e professores que desejavam pegar um autógrafo ou tirar foto com Susan.

-- Qual o problema? Por que não deseja falar com sua mãe. Afinal o que houve com vocês, por que desde que você voltou não falou nada em relação a seus pais. Brigou com eles?

-- Primeiro que ela não é a minha mãe e segundo que não quero e não vou falar com ela. Queria tanto que elas me esquecessem, que me deixassem em paz, mas pelo visto isso não irá acontecer tão cedo.

Valeria ficou muito feliz por ter pego o autógrafo de Susan e percebendo Patrícia encostada na parede do colégio resolveu se aproximar. Chegou abanando um papel com o autografo de Susan enquanto Patrícia a analisava.

-- Por que será que a Susan está aqui? Gostaria muito de saber. – Disse Valeria encarando animada o papel em sua mão com a caligrafia de Susan.

-- Acho que sei. E se for mesmo mudo de idéia em relação a uma pessoa.

-- Do que você esta falando? Posso saber?

-- Nada demais. Vamos entrar?

-- De modo algum. Quero saber por que a Susan está aqui. Não arredo o pé nem que para isso eu perca todas as aulas de hoje.

No carro Kamila tentava convencer Alex a entrar no colégio. Depois de expor todos os contras de perder a aula conseguiu convencê-la. Alex saiu se esgueirando pelos cantos de modo que não pudesse ser notada por Susan, mas Verônica conseguiu cortar caminho e parar em sua frente. E neste momento Susan se aproximou a principio tentando uma aproximação maior, como querendo abraçá-la. Mas quando Alex recuou Susan não fez outra tentativa.

-- Alex... Será que podemos nos falar por um momento.

-- Não. Vai embora!

-- Só um minuto. Prometo que não falarei mais que isso.

O pessoal não entendia a relutância de Alex em atender Susan. Muitos ficaram chocados quanto ao que se passavam naquele momento, outros desconfiados enquanto duas pessoas se mantinham sem dar opinião ou ter qualquer reação que não fosse apenas de esperar as coisas acontecerem. Estas duas pessoas eram Patrícia e Kamila que não queriam tomar partido nos acontecimentos da vida de Alex, mas queriam entender por que Alex estava ignorando a mãe.

-- Se não falar comigo agora, irei ficar aqui aguardando até que sua aula termine.

-- Vai para o inferno.

Alex estava visivelmente nervosa com aquele encontro. Não queria olhar direto nos olhos de nenhuma das duas. Afastou de todos e entrou no colégio apressada. Kamila se aproximou de Susan e tentou ver se conseguia explicar a reação de Alex.

-- Não sei o que houve com ela, mas será que você pode voltar mais tarde, posso tentar fazer ela mudar de idéia e que possa conversar contigo

-- Obrigada Kamila, mas acho que não irá adiantar muito não.

-- O que houve afinal. Por que ela esta tão chateada com vocês.

-- Um assunto nosso.

-- Tudo bem. Mas ela não esta com cara de que deseja falar com você tão cedo. Até a tia dela que ela amava tanto ela esta ignorando.

-- Fala para ela que iremos continuar tentando o perdão dela. Ate mais tarde Kamila e mande um abraço para ela por mim.

-- Pode deixar. Tchau Verônica.

As duas se despediram de Kamila que logo entrou no colégio sobre os olhares de muitas pessoas que não sabia que ela tinha intimidade com uma pessoa famosa. Mais curiosos estavam as pessoas com o suposto envolvimento de Alex com Susan Swanson.



CAPÍTULO 1     CAPÍTULO 2     CAPÍTULO 3     CAPÍTULO 4   CAPÍTULO 5  
CAPÍTULO 6     CAPÍTULO 7     CAPÍTULO 8  CAPÍTULO 9     CAPÍTULO 10  
CAPITULO 11   CAPÍTULO 12  CAPÍTULO 13  CAPITULO 14    CAPITULO 15
CAPÍTULO 16  CAPÍTULO 17  CAPÍTULO 18   Capitulo 19   Capítulo 20  
Capitulo 21 

Kick - Episodio 1 - Parte 3

E vamos novamente de Kick. Nesta cena a Laila depois de se decepcionar em não ver a Jackie  no treinamento vai para o vestiário tomar um banho, e quem ela encontra por la. Nada menos, nada mais que a fonte de seus pensamentos, a própria Jackie que atirada que só já pega o telefone da morena.

Mas vamos ao que importa, as fotos. Reparem na secada que a Laila dá na Jackie, muito fofa ela.

sábado, 24 de setembro de 2011

Segredos, Mentira e Emoções - Capítulo 21

Alex foi a primeira a chegar na sala para o jantar. Trajava um short jeans e uma regata creme. Aproximou da mesa de jantar com um olhar meio desconfiado. Ficou quieta sem falar nada, não sabia qual seria a reação de Melanie depois que pegou as duas transando no quarto de Kamila. Percebeu que Melanie a olhava de um modo diferente, porém sem aquele aspecto de nojo. Tentou ao máximo não falar nada. Não queria criar nenhum tipo de problema enquanto estivesse na casa dela.

-- Você está um pouco pálida Alex. Não precisa se preocupar sei o que aconteceu lá em cima, não precisa ficar com esta cara espantada. Sou uma mãe liberal com a Kamila, então haja o que estiver acontecendo entre vocês não irei me meter. Não fique com receio de que eu vá mudar meu tratamento com você por que estão se envolvendo.

-- É, eu... eu... nem sei o que dizer. Eu ...

-- A Kamila e eu somos grandes amigas. Antes de sermos amigas sou a mãe dela e a relação que temos é a melhor possível. Pelo menos temos uma a outra, não somos pessoas distantes como muitos familiares são. Você gosta dela?

-- Ela é bem legal. Mas ela tem namorado.

-- Não se preocupe, se ela sentir mais do que amizade por você, ela não terá obstáculos para que vocês possam viver este amor. Uma hora ela te enxerga pode ter certeza disso.

Neste momento Kamila entrou na sala tendo escutado somente esta parte da conversa. Estava trajando uma saia preta um pouco acima dos joelhos e uma blusa azul colada ao corpo e uma sandália de salto alto, o qual adora muito.

-- Enxergar quem, posso saber? – Fez a pergunta olhando em direção a sua mãe, mas logo seus olhos avaliaram Alex de cima a baixo aprovando a roupa que esta havia escolhido.

-- Não percebe que a Alex gosta de você.

Alex ficou sem jeito. Não imaginava que Melanie abordaria um assunto tão sério sem a menor preocupação. Pressentiu que seu rosto ficou vermelho e no mesmo instante ficou muda, tentou falar alguma coisa mas não disse nada, preferiu se manter calma como se não fizesse parte daquela conversa, mesmo sabendo que aquilo não era possível.

-- Mãe, ela sabe que só estamos nos divertindo. Somos jovens e não precisamos firmar um compromisso tão novas. Temos muito que vivermos ainda, cada coisa no seu devido tempo. E então mãe, e aquele cara que você está saindo, vão sair? Ele é um gatinho!

-- Vamos nos encontrar novamente hoje, por isso não me esperem para o café da manhã. E não façam nada que eu faria. Nada de festas viu meu amor.

Kamila concordou com a cabeça e o jantar transcorreu normalmente com as três comentando sobre alguns assuntos. Pouco tempo depois Melanie foi se arrumar deixando as duas a sós ainda na sala de jantar.

-- Então o que vamos fazer agora. – Kamila perguntou olhando diretamente nos olhos de Alex e no mesmo instante umedeceu os lábios com a língua.

Alex acompanhou cada movimento que a língua de Kamila fazia, respirou fundo e virou o rosto para a direção da porta. – Eu vou dormir no quarto de hospedes. Você eu não sei o que vai fazer, vai lá sair com seu namoradinho bobo.

-- E se eu ficar batendo em sua porta, você me deixará entrar. E não irei sair com ele hoje. Serei toda sua. Toda sua.

Ao ouvir aquelas ultimas palavras Alex sentiu um frio correr pela espinha. A imagem de Kamila nua na cama voltou como flash naquele exato momento. Sentiu que sua calcinha estava molhada devido ao desejo de realizar novas fantasias com Kamila, mas não queria ser somente a outra. Queria ter seu espaço no coração dela.

-- Por que você faz isso. Ficar com garotas é novidade para mim. Não posso me apaixonar por você.

-- E por que não?

-- Por que você só está me usando, não está afim de mim.

-- Alex, o melhor da vida é poder se divertir. Não perca tempo esperando que as coisas caiam do céu. Parta e haja. Hoje é um dia, fazemos as loucuras de hoje e amanhã decidimos o que fazer no dia de amanhã. Se houver conseqüências pensemos nela no dia amanhã, não no dia de hoje.

-- Não partilho das mesmas idéias que as suas, por que eu quero ficar com alguém. Quero me sentir bem com alguém,ter uma pessoa que goste de mim, que queira ficar comigo em todos os momentos e que seja alguém que se interessa por mim, não quero ficar com ninguém apenas por sexo.

-- Então fica comigo. Você sabe que não vou desgrudar de você nem por um momento. Vamos fazer o seguinte, vamos ver um filme. Tudo bem! Só veremos o filme e não faremos nada de errado, está bom para você.

-- Como eu sei que você não vai me fazer mudar de idéia, só vamos ver o filme e depois cada uma para seu devido quarto. Fique longe de meu quarto ou não ficarei mais aqui e vou para a casa da Katherine.

-- Ok. Não precisa apelar para uma loucura como essa. Vou me comportar. Vou ser uma santinha ao seu lado, não irei olhar para as partes de seu corpo que estão a mostra nem nada.

Alex e Kamila se dirigiam a sala de vídeo, o filme escolhido por Kamila não agradou nem um pouco a Alex. Por que ela escolheu um filme de terror só para ficar agarrada a ela. A cada cena de suspense Kamila dava um jeito de se aconchegar ainda mais em Alex. Por fim nem souberam o final do filme por que Kamila aproveitou para dar em cima de Alex que acabou cedendo as suas investidas. E as duas acabaram ficando juntas naquela noite.

Kamila levou Alex para seu quarto e nem bem chegando ao quarto começou a arrancar as roupas de Alex tamanha era a vontade de sentir a pele dela novamente. Peça por peça foi ficando pelo caminho até chegarem a cama. Pousou Alex praticamente nua na cama e logo em seguida retirou suas roupas devagar de modo que pode ver as chamas nos olhos de Alex diante das peças que eram atiradas para qualquer canto do quarto e logo começou a beijar a pele de Alex. A cada toque de sua pele sentia alguma coisa diferente, algo que não havia sentindo com nenhuma pessoa com a qual havia ficado antes. Sentiu que seus pêlos se eriçavam quando tocavam a pele de Alex, mas ignorou este fato, só queria senti-la em seus braços. Beijou calmamente o seu colo enquanto suas mãos exploravam outras partes do corpo de sua amante.

Alex sentia a cada toque de Kamila que seu corpo se entregava mais a ela. Kamila sabia como ninguém despertar sua libido com as preliminares de uma noite de amor. Os gemidos ficaram mais intensos quando a boca de Kamila chegou ao ventre de Alex provocando ondas de calor por todo o seu corpo. Com a respiração entrecortada percebeu que Kamila parou em seu ventre fazendo movimentos com a língua e com os dedos.

-- Kamila.... quero ....

Kamila não escutou a que frase Alex queria formular, continuou naquele joguinho. Se deliciando com sua pele quente e deliciosa. Sentiu que Alex se entregara mais naquele momento que na noite anterior. O mesmo se dava a ela. Kamila nunca tinha se entregado a uma pessoa quanto estava se entregando naquele momento. Nunca se preocupou em saber se alguém estava satisfeito com o que ela fazia. Mas naquele momento ouvir os gemidos, as vontades de Alex eram para ela uma regra que deveria seguir para dar prazer naquele momento.

Continuou se deliciando com a pele de Alex enquanto descia com a boca pela virilha deixando um rastro que aumentava ainda mais a excitação de Alex. Abriu as pernas de Alex e antes de abocanhá-la começou a lamber e dar pequenas mordidas na parte interna das cochass de Alex, o que a deixou com um uma vontade enorme de ser tomada ali naquele momento. Alex já estava encharcada e com o sexo inchado desejando ser tomado e aquele joguinho a deixava com um tesão enorme, mas Kamila não queria finalizar, estava disposta a deixá-la ainda mais com vontade.

-- Ka ... Ka... Vai. Me..Tomaaa.

Alex não consegui nem dizer o nome de Kamila por inteiro, o tamanho do desejo que sentia enquanto Kamila a deixava ainda mais excitada. Sem esperar Kamila abocanhou Alex que soltou um grito que preencheu o quarto. Kamila chupou, lambeu e mordeu o clitóris de Alex enquanto acariciava os seios com as mãos.

Naquela noite Alex teve a sensação de que seu corpo não pertenceria a outra pessoa que não fosse por Kamila. As duas se entregaram a uma noite cheia de carinho e paixão crescente, mas Kamila não queria pensar no dia seguinte. Mesmo que as sensações sentidas por ela fossem diferentes de tudo que sentiu algum dia, não queria pensar em nada que não fosse o prazer daquele momento.


CAPÍTULO 1     CAPÍTULO 2     CAPÍTULO 3     CAPÍTULO 4   CAPÍTULO 5  
CAPÍTULO 6     CAPÍTULO 7     CAPÍTULO 8  CAPÍTULO 9     CAPÍTULO 10  
CAPITULO 11   CAPÍTULO 12  CAPÍTULO 13  CAPITULO 14    CAPITULO 15

CAPÍTULO 16  CAPÍTULO 17  CAPÍTULO 18   Capitulo 19        Capítulo 20

domingo, 4 de setembro de 2011

Parada Gay

Bom o retrospecto foi muito bom, foram quatro trios e estava muito bom. Havia policiamento e o evento foi bem aceito pela população. Claro que havia quem não apoiava mas isso é normal, não podemos esperar que uma pessoa seja totalmente aberta a tudo.

Mas vamos as pouquissimas fotos de minha câmera horrível, mas para o show da Britney estarei com uma câmera de verdade kkk

Devia ter marcado com quem disse que queria ir a Parada comigo, assim sairiamos em bando kkkk. Foram mais de cem mil pessoas, e praticamente adorei cada coisa. Devo ter sido a única que achou o evento deste ano melhor do que o ano passado.

Vamos as fotos:












The L Word - Episodio 2 - Continuação

Nesta parte a Alice vai fazer uma pesquisa para a revista em que trabalha e reencontra uma ex-namorada que a tratava como lixo. Esta cena é muito engraçada, principalmente quando a Alice grita no meio da rua pelo interfone o que ela deseja fazer no local.